Dia 2 – Recife

Na segunda-feira acordamos um pouco mais tarde, pois bateu o cansaço da viagem. Tomamos café e combinamos com a Mônica um passeio ao Recife Antigo para depois do almoço. Como o calor era forte, ficamos na piscina do condomínio.  

Eu piscina

O Recife Antigo era uma região próspera nos séculos passados e está situado entre o Rio Capibaribe e Oceano Atlântico. A região era um grande centro comercial da cidade. Mas o local entrou em decadência e alguns pontos se transformaram em sinônimo de prostituição. Hoje a situação mudou bastante, pois passou por processo de revitalização e foi tombado pelo Patrimônio Artístico Nacional. É um ponto turístico obrigatório em Recife.  No Recife Antigo passeamos por várias ruas e nossa primeira parada foi na Praça da República, onde está localizado o Palácio do Governo e o Teatro Santa Isabel. 

Palácio do governo Teatro Santa Izabel ee 

A seguir, visitamos o Paço Alfândega. Trata-se de um shopping construído no local onde existia a antiga alfândega portuária.  Foram preservadas as paredes originais do prédio, o que dá um charme especial ao lugar. Dentro do shopping há um centro cultural, onde os guias contam toda a história da cidade e apresentam muitas fotos, relíquias e curiosidades a respeito da cidade. 

Paço Alfândega 1 Paço Alfândega 2 anjo

Uma das histórias mais interessantes trata da construção de uma ponte por Maurício de Nassau, que governou por aqui (1637-1644) durante a ocupação holandesa. Quando Nassau disse que faria a ponte sobre o Rio Capibaribe, muitas pessoas disseram que seria mais fácil um boi voar que construí-la.  Além do grande esforço necessário para a construção, havia dificuldade de obtenção de recursos junto ao governo holandês. Utilizando recursos próprios, Nassau construiu a ponte e prometeu que no dia da inauguração, faria um boi voar sobre o local. A promessa causou alvoroço e todos queriam ver o tal boi voando. Nassau, muito esperto, cobrou um pedágio de todos que queriam ver o inusitado acontecimento. Durante a inauguração da ponte, em 1643, houve uma grande festa e, de fato, Nassau fez o boi voar. Mas tudo não passou de um truque, pois na verdade era um animal empalhado e sustentado por cordas.  Além de enganar a todos, Nassau embolsou uma grande quantia obtida com o pagamento do pedágio! 

Estátua de Mauricio de Nassau

Próxima parada: Marco Zero. Construído em 1938, fica em uma praça revitalizada e que serve de palco para grandes shows e manifestações. Em frente a praça, estão esculturas de Francisco Brennand, como a Torre de Cristal. 

Marco Zero 

Saindo do Marco Zero, passamos pela Rua do Bom Jesus, a antiga Rua dos Judeus. Na época da ocupação holandesa, era assegurada a liberdade religiosa e houve uma grande migração de judeus. Neste período, foi fundada a Sinagoga Kahal Zur Israel, a primeira das Américas. Após a retomada da cidade por portugueses, os judeus tiveram que deixar o país e a sinagoga foi abandonada. Recentemente a sinagoga foi restaurada e se transformou em um centro turístico. Não foi possível visitar o local, pois era segunda-feira, dia de manutenção. 

Rua do Bom Jesus Rua do Bom Jesus 2

Em seguida, fomos ao Forte do Brum, onde funciona o Museu Militar. O forte foi construído pelos portugueses em 1629. Três anos depois, os holandeses levantaram outra edificação sobre os alicerces da construção portuguesa.

Canhão no Forte do Brum

Voltamos para casa e à noite, descansamos um pouco e fomos a um bar chamado Guaiamum Gigante. Acompanhamos o jogo do Náutico (que infelizmente perdeu para o Internacional por 2×0) e comemos o tal Guaiamum, um caranguejo de cor azul. A carne é muito saborosa, mas dá um trabalho danado quebrar o bicho todo!! É claro que existe uma porção já pronta, mas optamos por comer da maneira tradicional.  

Guaiamum 1 Grazi comendo o Guaiamum 

5 Responses to “Dia 2 – Recife”

  1. Breno disse:

    Credo! Perna cabeluda…

  2. Alexandre disse:

    Eu também detesto perna cabeluda!! Sai fora!!

  3. Carol, mamãe, Fernando e Jhonata disse:

    Credo Grazy, que bichinho nojento, hein?! Para quem não como peixe “normal”, comer esse feio ai… hahahahahahahahahahah… Bjs

  4. leticia disse:

    vcs nao responderam a minha pergunta , esse site é horrivel

  5. Alexandre disse:

    Letícia,

    verifiquei a lista de comentário e não encontrei nenhuma mensagem sua. Creio que pode ter ocorrido algum problema no WordPress ou foi barrado pelo bloqueador de spams, no caso do seu comentário conter alguma palavra específica.

    Caso você queira, me encaminhe novamente a sua pergunta. Se estiver ao meu alcance, irei ajudá-la. Várias pessoas já me enviaram perguntas sobre a minha viagem ao Nordeste e sempre respondi a todas. Mas cabe ressaltar que este é o um blog pessoal, para registro de viagens, imagens, relatos e idéias, sem a obrigação de servir com fórum “tira-dúvidas” ou algo similar.

    Atenciosamente,

    Alexandre

Deixe uma resposta