O acidente com o vôo 3054 da TAM

Eu não queria falar novamente sobre este assunto, mas estão ocorrendo alguns fatos que (ainda) me deixam perplexo:

  • a atitude da imprensa brasileira: é impressionante como os nossos jornalistas se tornaram especialistas em aviação de um dia para o outro. Cada veículo publica, a cada dia, uma conclusão diferente sobre as causas do acidente, analisando as condições da pista, o grooving (que ninguém sequer sabia que existia há algumas semanas), o defeito do reverso do avião, a posição das manetes e as ações dos pilotos. E tudo isso baseado em fragmentos de informações, boatos, e, principalmente, no “achômetro”.
  • a atitude dos nossos deputados: alguém pode me explicar porque existe uma CPI para apurar o acidente? Esclarecer o que aconteceu com o vôo 3054 não seria responsabilidade da Polícia Federal em conjunto com os órgãos reguladores da aviação? E o que os deputados entendem de aviação para emitir opiniões? O motivo é o mesmo de todas as CPI´s instaladas (e que sempre terminam em pizza): autopromover-se da desgraça alheia.
  • o vazamento de informações: em um país sério, não haveria vazamento de informações para a imprensa, ainda mais com privilégio para veículos de um certo grupo (Veja e Folha de São Paulo). Antes mesmo que o envelope lacrado, contendo a transcrição dos dados da caixa de voz do vôo 3054, fosse aberto na sessão da CPI, a imprensa já tinha conhecimento do seu conteúdo e publicava mais uma das inúmeras conclusões apresentadas.

É por estas (e muitas outras) situações que estou evitando o notíciário nos últimos dias.

Deixe uma resposta