Lisboa: do Oceanário ao Castelo de São Jorge

Após uma boa noite de sono e recuperados do cansaço da viagem, tomamos nosso café no hotel e saímos para conhecer o Oceanário de Lisboa. É o segundo maior oceanário do mundo e está localizado na zona leste da cidade, dentro do Parque das Nações. O complexo do parque, construído para a Expo 98, é formado por enormes pavilhões, parques, lojas, restaurantes. Caminhamos do hotel até a região da Baixa, onde pegamos o ônibus da linha 28 e que nos deixou a poucos metros do nosso destino.

O Oceanário de Lisboa é dividido em cinco áreas: o gigantesco tanque central, que representa o oceano desde a zona costeira ao mar aberto, e mais  quatro tanques menores, que representam o Atlântico Norte, Antartico, Pacífico Temperado e Índico Tropical. O volume de água dos cinco tanques chega a 6.000 toneladas e abriga 15. 000 exemplares de animais de 250 espécies diferentes.

Sem dúvida, a grande atração no Oceanário é o tanque central. Cercado por paredes transparentes de acrílico com formato curvo, medindo 7 metros de altura e até 30 centímetros de espessura, este tanque concentra uma grande variedade de espécies.

O efeito desta enorme quantidade de água e peixes é hipnotizante. Ficamos durante vários minutos parados em frente ao tanque, simplesmente admirando os tubarões, arraias e diversas espécies de peixes. Continuamos a visita para conhecer os demais tanques do Oceanário, onde encontramos anemonas, pinguins, lontras e até o Nemo!

A melhor maneira de curtir o Oceanário é sentar em um banco, ou até mesmo no chão, e simplesmente ficar observando o vai-e-vem dos peixes. Apesar da grande variedade de espécies, o grande sucesso mesmo são os tubarões do tanque central. Ver um animal daquele tamanho vindo em sua direção é de tirar o fôlego!

A princípio, imaginamos que a nossa visita ao Oceanário duraria cerca de uma hora. Mas ficamos lá admirando os peixes e, quando percebemos, já haviam se passado duas horas! Saímos do Oceanário e fomos dar uma volta pelo Parque das Nações. Apesar dos vários jardins e da proximidade do Rio Tejo, o calor estava escaldante. Paramos para tomar um sorvete e descobrimos que Kibon, em Portugal, que dizer “Olá”!

Como havia um sol para cada pessoa, resolvemos cruzar o parque utilizando o teleférico. Ao longo de mais de 1.000 metros de extensão e a 20 metros de altura, o passeio no teleférico é feito em uma pequena cabine para até quatro pessoas que balança bastante, mas permite uma bela perspectiva de todo o Parque das Nações. Apesar do nosso medo de altura, gostamos muito do passeio!

Fomos até o Shopping Vasco da Gama, que fica ao lado do Parque das Nações, fizemos algumas compras e almoçamos por lá mesmo. Voltamos de metrô até o Rossio e de lá pegamos o ônibus que nos levaria até o nosso próximo destino: o Castelo de São Jorge!

O Castelo fica no alto de uma montanha e costuma ser lembrado como o local de fundação de Lisboa. Embora tenha servido como residência real até 1511, o castelo ficou abandonado desde aquela época até ser restaurado em 1938.  Logo após a entrada, há uma grande esplanada que oferece uma belíssima visão da cidade.

Logo após passar pela esplanada, chegamos a entrada do castelo, que impressiona pela tamanho. Até então, eu nunca havia entrado em um castelo.

Andamos pelo entorno do castelo, passando de torre em torre e contemplando uma bela vista de Lisboa. Caminhar junto aos muros não é muito fácil, pois em alguns trechos o espaço é estreito e o parapeito é baixo. Pra quem tem medo de altura, algumas partes do castelo são praticamente inacessíveis.

No Responses to “Lisboa: do Oceanário ao Castelo de São Jorge”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Lisboa: do Oceanário ao Castelo de São Jorge « Turismo « Link de Qualidade - [...] Por O que se fazVer matéria completa [...]

Deixe uma resposta