Lisboa: uma visita a Sintra

Antes de qualquer viagem eu sempre faço uma pesquisa sobre o destino. Só depois planejo um roteiro básico do que ver e fazer em cada dia. É lógico que este roteiro é flexível, pois sempre ocorre um problema ou surge um nova descoberta durante a viagem e isso muda tudo. Mas durante a pesquisa para o período de hospedagem em Lisboa, encontrei um outro destino próximo da capital portuguesa muito interessante: Sintra.

Sintra fica apenas a 35 km de Lisboa e foi reconhecida pela Unesco como patrimônio da Humanidade em 1995. Era  o refúgio de verão dos reis portugueses entre o início do século 13 e o final do século 19.

Decidimos ir para Sintra em um dos trens que partem da bela Estação do Rossio. A viagem dura 40 minutos e passa por parte da periferia de Lisboa. Li sobre alguns relatos de assaltos durante as viagens, mas basta evitar os vagões mais vazios. Apesar de um pouco de receio por estas informações, a nossa viagem foi extremamente tranquila.

Como diz o Ricardo Freire, Sintra é tão diferente de Lisboa que parece que fizemos uma viagem para outro país. A cidade é pequena e bonita, cercada por grandes montanhas, muitas áreas verdes e mesmo no verão tem um clima ameno. Saimos da estação de trem e fomos caminhando em direção ao centro histórico. Durante o trajeto, já avistamos o nosso primeiro destino, o Palácio Nacional de Sintra, cuja principal característica são as grandes chaminés gêmeas em formato de cone!

Segundo a Patrícia Camargo, do Turomaquia, o palácio era a residência dos prefeitos mouros de Lisboa durante a ocupação árabe. Após a retomada de Lisboa pelos portugueses em 1147,  passou a ser propriedade dos reis até a proclamação da República em 1910.

Cada cômodo do palácio possui um estilo de decoração peculiar e as pinturas nos tetos são extremamente detalhadas, cada uma contando uma estória diferente.

Saímos do palácio, caminhamos pelo centro histórico e paramos para um rápido almoço. Logo depois, tomamos o  caminho de uma estradinha que passa ao lado do escritório de informações turísticas e fomos na direção da próxima atração: a Quinta da Regaleira.

A Quinta da Regaleira é uma propriedade que ocupa uma área de 4 hectares e abriga um castelo e seus enormes jardins com diversas obras de arte, labirintos, fontes, grutas e poços. Foi construída por volta de 1900 por um excêntrico milionário amante da botânica, alquimia e temas esotéricos.

Os jardins da Quinta da Regaleira reservam uma surpresa a cada esquina. Uma das grandes surpresas que encontramos foi o Poço Iniciático, uma espécie de torre invertida que se estende 27 metros dentro do solo. O poço tem este nome pois acredita-se que era usado em rituais de iniciação à maçonaria.

A principal construção da propriedade é um belo castelo de três andares com estilo manuelino.

Com o dia terminando, tivemos que escolher um entre os vários lugares interessantes em Sintra. Acabamos optando por visitar o Palácio da Pena, que está situado em uma montanha muito, muito, muito alta. A subida até o palácio foi uma verdadeira aventura, pois o ônibus que vai até o local passa por uma estrada bastante estreita. E como o motorista passa o dia inteiro fazendo o trajeto até o palácio, já conhece bem o caminho e vai acelerando montanha acima! É quase uma montanha russa só com subidas!

O Palácio da Pena foi eleito em 2007 como uma das 7 Maravilhas de Portugal. No local onde atualmente está o palácio, existia uma pequena capela dedicada a Nossa Senhora da Pena. Em 1502 o Rei Dom Manuel mandou construir no local um mosteiro de madeira que foi doado para a Ordem de São Jerónimo. Mas após o terremoto de 1755, o mosteiro caiu em ruínas e apenas a capela ficou intacta. A recuperação do mosteiro e construção do palácio ocorreu entre 1842 e 1854, sendo comprado pelo Governo de Portugal em 1889. Após a implantação da República, em 1910, o palácio foi convertido em museu.

O palácio é enorme e seu interior está ricamente decorado. Infelizmente não são permitidas fotografias no interior do palácio. Felizmente, a Patrícia Camargo, do Turomaquia, disponibilizou algumas fotos que fazem parte do Guia Oficial do Palácio, comprado na lojinha do museu.

Ao final da visita, paramos por alguns instantes na lanchonete e ficamos admirando a belíssima vista que o palácio oferece.

Se você for a Lisboa, recomendo uma visita a Sintra. Tenho certeza que você vai gostar!

8 Responses to “Lisboa: uma visita a Sintra”

  1. Alessandro A. disse:

    Oi Alexandre,

    O post ficou muito legal! Muito boas as fotos da Quinta da Regaleira! Com estava com meu filho pequeno, não queria abusar, mas na próxima vez eu passo por lá.

    Abraços!

  2. Carla disse:

    Alexandre, nós já tínhamos ficado com vontade de voltar a Sintra com mais tempo desde a nossa visita, mas depois do seu post essa vontade ficou ainda maior… 😉

  3. CarlaZ disse:

    Por tudo que tenho lido de Sintra já sei que vou amar! To contando os dias pra viagem :)

  4. Lilian Azevedo de Moraes disse:

    Oi,Alexandre conheci seu blog através do Wazari e gostei bastante,dá dicas bem práticas e é isso que todos nós,viajantes,queremos.Já coloquei como favorito para continuar minhas pesquisas.Vou em fevereiro pela 1ª vez a Portugal e estou na maior dúvida em que cidades me hospedar e quais só visitar.Pensei em me hospedar em Porto,Coimbra e Lisboa[visitar Sintra,Cascais,Óbidos].Que cidades vc considerou imperdíveis ?

    • Alexandre Costa disse:

      Oi Lilian! Obrigado pelo elogio!

      Das que você citou eu só conheço Lisboa e Sintra. Por isso não posso afirmar quais são imperdíveis e quanto tempo dedicar a cada uma delas. Mas posso sugerir um dia inteiro para Sintra e, no mínimo, 4 dias inteiros para Lisboa, pois é uma cidade com muitas atrações.

      Espero ter ajudado. Um abraço!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Dicas de viagem para Lisboa « O que se faz - [...] se você quiser fazer uma viagem rápida a um dos destinos próximos a Lisboa, recomendo uma visita a Sintra.…

Deixe uma resposta